quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Religião ou não religião, eis a questão...

Dom José Policarpo advertiu as jovens portuguesas que casar com muçulmanos pode causar uma carga de sarilhos. O Cardeal Patriarca de Lisboa diz que «nem Ala sabe onde acabam os problemas».



Será que ele não percebeu que o que foi noticiado era relacionado com autorizações para viver em Portugal (no caso dos muçulmanos) e com uma forma de ganhar dinheiro (no caso das portuguesas)? Que nada tinha a ver com amores e relações amorosas. Mas apenas uma questão sócio-financeira...



De qualquer forma, o que é que o amor tem a ver com a religião? Se for amor não haverá abusos "protegidos" pela religião, certo?
Ou será que sou eu que vivo num mundo demasiado cor-de-rosa??? E acredito que as pessoas são boas...

À quem diga que sim, mas eu gosto de ser assim.

1 comentário:

pernas curtas disse...

tanta coisa...casamento entre religioes diferentes..entre sexos iguais..e os padres???estao casados com quem???É que se for com Deus, o coitado, para além de poligamo é gay!!!!